Trying to get property of non-object [ On /var/www/virtual/jpop.com/public_html/generatrix/model/youtubeModel.php Line 63 ]
Margareth Menezes - JPop.com
Artist info
Margareth Menezes

Margareth Menezes

Margareth Menezes


Margareth Menezes (born October 13, 1962) is a Brazilian singer from Salvador, Bahia. Her style is considered axé but her music also steers into samba and MPB territory, also drawing on African rhythms and reggae at times. Menezes is best known in Brazil for her song "Me Abraça e Me Beija", a major hit in 1990. She also scored another hit with "Dandalunda", a song which became the unofficial anthem of the 2003 Salvador carnival. Menezes has achieved superstardom in her native Bahia but only moderate success in wider Brazil. Read more on Last.fm
Margareth Menezes (born October 13, 1962) is a Brazilian singer from Salvador, Bahia. Her style is considered axé but her music also steers into samba and MPB territory, also drawing on African rhythms and reggae at times. Menezes is best known in Brazil for her song "Me Abraça e Me Beija", a major hit in 1990. She also scored another hit with "Dandalunda", a song which became the unofficial anthem of the 2003 Salvador carnival. Menezes has achieved superstardom in her native Bahia but only moderate success in wider Brazil. She is famed for her energetic live performances and regularly tours and performs at carnival celebrations. In 1990, one of Menezes's tracks "Elegibô (Uma Historia De Ifa)" was used in the Mickey Rourke film Wild Orchid. This prompted Island Records in the US to release a compilation album of some of her older material from Brazil on their subsidiary label, Mango.

The album, simply titled Elegibô, was an instant hit, reaching # 1 on the Billboard World Music chart at a time when David Byrne was championing Brazilian music in the US. The title track itself became a regular staple at clubs playing so-called world music throughout the US and Europe. The album also received a full release in the UK, Germany and France. Menezes toured internationally on the back of this album, generating a lot of press in the process.

A second US-released follow-up album Kindala, released late 1991, but repackaged in some territories from the Brazilian release of the same name, also achieved some success. This release also gave Menezes a minor hit album in France too. In 2002, Menezes released the highly acclaimed Afropopbrasileiros (also known as "Maga") showcasing her trademark fusion of afro-Brazilian beats. The album was produced by Carlinhos Brown of Tribalistas fame and was well received in Brazil and internationally. Menezes also co-wrote and performed on the 2003 Tribalistas hit "Passe Em Casa", from the million-selling Tribalistas album. Her 2005 single, "Como Tu", a duet with Brazilian superstar Ivete Sangalo was released amidst much hype due to the fact that Sangalo was achieving platinum album sales at the time. The track reached the lower reaches of the Top 30 in Brazil but failed to emulate the success of recent Sangalo hits.

The hit single was lifted from Menezes' 2005 album release Pra Você; the album received lukewarm reviews, possibly owing to a more poppier sound than previous releases. A second single, the reggae-tinged "Miragem na esquina" performed poorly at radio. In 2006, the album Pra Você received a Grammy nomination for "Best Brazilian Contemporary Pop Album". More recently, Menezes participated on the track "Beijo Descarado" by Timbalada which achieved some airplay success in Brazil during the 2007 Carnival celebrations. Menezes remains one of the most dynamic and popular of the contemporary Brazilian artists achieving international recognition. Biografia - a “Aretha Franklin brasileira” Dona de voz grave e marcante, Margareth foi das cantoras de carnaval que mais demorou para alcançar o merecido sucesso. Nascida no bairro pobre da capital baiana de Boa Viagem, desde menina participa de coral religioso em sua comunidade, tempo em que aprende a tocar o violão, no ano de 1977. Ainda nesta década, em 1980, apresenta-se como atriz na peça "Ser ou não ser gente", no Teatro Vila Velha. Revelando propensão para o teatro, integra o elenco de diversas apresentações que perpassaram por autores como Menotti del Picchia, Gogol a Ziraldo. Aliado a esta faceta, também passa a se apresentar em bares da noite soteropolitana, desde 1983. Neste ano apresenta-se no espaço cultural "Circo Troca de Segredos", de cuja fundação participou, sendo bem recebida pelo público. Conciliando música e teatro, apresenta-se em São Paulo na peça "Colagens e bobagens", em 1985, ano em que produz e dirige, ao lado do parceiro de longos anos, Silas Henrique, seu primeiro show solo, "Banho de Luz", que lhe rende o Troféu Caymmi de Melhor Intérprete. Sua carreira musical estende-se para as demais cidades do estado e, em 1987, com o advento da Axé music, e o começo da participação feminina nos trios elétricos, torna-se a vocalista do trio do bloco "20 Vê".

Neste período, como havia um receio da não-aceitação das mulheres como cantoras nos trios, a voz das mesmas era tornada o mais grave possível, embora este seja seu timbre natural. Deste ano data o já "clássico" sucesso "Faraó" - primeira música de samba-reggae gravado no Brasil. Seus shows prosseguem fazendo grande sucesso de público e crítica em Salvador, e recebe novamente, nesta categoria, o Troféu Caymmi. Como cantora do bloco "Simpatia quase amor", suas músicas têm pela primeira vez, divulgação nacional e, no ano seguinte, apresenta-se em Buenos Aires. Este é o ano em que grava seu primeiro disco, com seu nome. Em 1989 viaja com Pepeu Gomes para o VII Festival de Música do Caribe, onde são eleitos os melhores.

Também em 1989 grava seu segundo disco: "Um canto para subir". Com Gilberto Gil e Dominguinhos participa de vários shows e lança um disco nos Estados Unidos, que lhe rende o convite, feito por David Byrne, para fazer a abertura dos shows da turnê mundial do grupo Talking Heads. Seu disco "Elegibô" é considerado um dos cinco melhores de "World Music" do mundo pela revista Rolling Stones (1991). Em 2002, Margareth embarca para Timor-Leste para participar de um festival em comemoração à independência do país, realizada em 20 de maio. O evento contou também com a participação de Martinho da Vila, Fafá de Belém e Elza Soares. Aproveitando sua experiência, e a fim de driblar os obscuros interesses da indústria fonográfica no Brasil, fabricando sucessos e descartando-os, Margareth experimenta um período em que, apesar do sucesso internacional, não atinge o grande público.

Sua apresentações na Bahia continuam tendo grande resposta de público e, finalmente, volta a explodir com força nacional em 2003, consagrando-se com um selo próprio. Em 2004 gravou seu primeiro DVD, num show ao vivo, pela Rede Globo, com o qual recebe o prêmio DVD de Ouro. Sua rara biografia mostra uma mulher multifacetada como artista - mas Margareth revela-se preocupada com suas origens, com a defesa da igualdade e respeito. Ser considerada a "Aretha Franklin brasileira" pelo Los Angeles Times revela apenas seu talento como cantora, mas Margareth é muito mais. Discografia: 1988 - "Margareth Menezes" - Polygram do Brasil 1989 - "Um Canto para Subir" - WR e Polygram 1989 - "Elegibô" - Mango/Island Records (EUA) e Polidor (Inglaterra). 1991 - "Kindala" - Polygram 1993 - "Luz Dourada" - Polygram 1995 - "Gente de Festa" - Warner Continental do Brasil 1998 - Disco Autoral 2001 - "Maga - Afropopbrasileiro" - Produção de Carlinhos Brown e Alê Siqueira. 2003 - "Tete-à-tete Margareth Menezes" - Estrela do Mar (selo próprio) 2004 - "Festival de Verão Salvador" (CD e DVD) - Som Livre/Rede Globo 2005 - "Pra Você" - EMI Read more on Last.fm.

User-contributed text is available under the Creative Commons By-SA License; additional terms may apply..
Top Albums

show me more

showing 4 out of 20 albums
Shoutbox
No Comment for this Artist found
Leave a comment


Comments From Around The Web
No blog found
Flickr Images
No images
Related videos
No video found
Tweets
No blogs found